May 16, 2006

Primeira Sentença Despótica

Abolir as gargalhadas nas comédias da televisão. Conseguem adormecer-me o interesse e a vontade de passar uns 30 ou 40 minutos divertidos, ou até bem divertidos, em frente da caixa. Dou por mim a pensar: "Olha! Lá está a dar o Seinfeld... já vi aquilo uma boa meia-dúzia de vezes e soube-me bem." Depois ouço as gargalhadas e regresso ao zapping ou a esta outra caixinha. Acontece conseguir abstrair-me, mas confesso que é raro. E devem vir nos DVD's também...

Bom, bom era conseguir editar o som e tirar de lá aquela galhofa gravada, sempre com um(a) ou dois(uas) risante mais convictos(as), que sobressai na inexistente audiência, e que ainda me agrava o mal-estar.

6 comments:

Dr. Scepticu said...

Olha, nisso estou contigo. Que irritação, pá. Eles têm de me dizer quando é que uma coisa é ou não engraçada? Malditos! Se fossem todos rir-se para o raio que os parta é que faziam bem.

aldina said...

Utilizar meios de sugestão para o riso e/ou choro (imaginemos a situação oposta!) é uma ideia absurda...! Agradeço o alerta no que se refere à compra de DVDs na área da comédia!

N. said...

também me irrita muito. Uma pessoa assim mais rebelde (como nós!:))até faz força por dentro para não se rir com os outros e acaba perdendo o sentido do que vê e, até, o sentido de humor.

curioso, aldina, isso da sugestão do choro, pelo choro. Era de rir!:D

Dr. Scepticu said...

Será que os DVD têm risos em várias línguas?

Dr. Scepticu said...

Por exemplo, em português podíamos ter as gargalhadas da Olga Cardoso.

candida said...

abominável. ainda por cima é uma forma burra de chamar burro ao telespectador.