October 03, 2006

um dia a menos pr'á morte


O seu corpo era um só encarquilhar-se do cachaço, um toldar-se da vista, um pingar do nariz, um zumbir dos ouvidos, um amarelecer da dentadura, um enrijecer da cervical, um entaramelar-se das goelas, um entrevar-se dos calcanhares, um murchar do courato, um empalidecer das crinas, um crepitar das tíbias, um tremular dos dedos, um tropegar dos pés, e o seu peito era só um expurgar de catarros por entre um escarrar de baba e cuspinhar de saliva.

Umberto Eco, A Ilha do Dia Antes

o título do post é empréstimo de SG

10 comments:

N. said...

:)
bonita triangulação, Alice! Muito bonito.

(e eu só vinha mesmo para saber de ti. Beijo.)

menina-alice said...

Apesar da referência futebolística, é curioso teres sido tu a primeira a comentar este post (a primeira de muitos milhares, certamente) porque me lembro sempre de ti quando estou a ler este livro...

aldina said...

... ainda assim, voluntariamente vivos! Nós humanos somos divinais!!!

Até sempre!

visitante said...

visita n.º1

magarça said...

A precisão da descrição assusta...Há já algum tempo que não leio nada do U.Eco, agora sei por onde recomeçar :)

menina-alice said...

E podemos ficar pior e rir ainda, Aldina. Já vi disso. ;)

menina-alice said...

Que bom ter servido de inspiração, r.. Avança sem medos. Deixa-te assombrar.

carlos said...

Não sabia que aquela praia era tua...

Desde já peço desculpa pelo excessivo uso que lhe dei sem te pedir autorização :)

Anonymous said...

Ora, Carlos! Tu podes! Mi playa es tu playa. ;)

menina-alice said...

Era eu, a dona da praia! ;)