May 09, 2007

ora vamos lá então experimentar isto


Começa muito bem, como o Grândola Vila Morena, com botas a marchar na gravilha. Mas já ouvi uma música com aquela vozinha de aranha xôxa de pseudo hermafrodita parcial do andamento do Antony. A perspectiva não será das melhores, mas estou a tentar JLX, estou a tentar...

13 comments:

jm said...

É um álbum muito bom. As piadolas do JLx sobre o Antony servem apenas de carvão para um bom petisco audivito.

Comecei por ouvir o CD em condições sonoras que depreciam a qualidade e diminuem a variedade de elementos do mesmo, logo que me apanhei em melhor ambiente, não o id€al, mas suficientemente rasca, mesmo as faixas antes estranhas tomam uma dimensão com extremo valor.

Não sendo o Antony uma referência no fado português, o dueto e os coros integrados em Volta soam bem, num dueto são precisas duas vozes a dele vai muito bem com a dela, nos coros talvez não fosse preciso a sua participação, mas como já lá estava, porque não?

As letras/poesia de Volta mantêm a simplicidade lírica numa complexa criação de imagens.

http://www.bjork.com/facts/lyrics/album.php?album=Volta&era=Björk

Sei que gostar à primeira de Björk não é fácil... aquela vozinha irritante no nosso ouvido, i've been there.

VOLTA é muito bom.

João Lisboa said...

Ó caríssimo jm... as minhas piadolas sobre a anémona murcha servem apenas para - por contraste: c/ anémona e s/ anémona - sublinhar que, sim senhor, o VOLTA é muito bom.

... e não acho a vozinha irritante, agradeço o esclarecimento de que o Tony não é uma referência do "fado português" (como é que, durante tanto tempo, eu pude laborar nesse equívoco?... devia estar a fazer confusão com o fado lituano) e confirmo que se trata de um bom petisco "audivito".

Dá-le menina Alice!

jm said...

Caro JLx, não percebeu com certeza, no assunto fado, que eu estava a afinar pela mesma bitóla que a boa análise da má análise da edição jornalística liderada pela cantora Björk, em caixa no artigo sobre o Volta - não se exaspere quando concordam com a sua opinião.

Quanto ao assunto da voz irritante, não sei porque se mete. A menina-alice, eu e outras pessoas já estivemos em absoluta convulsão sobre esta questão da voz irritante de Björk... existem pessoas que conhecemos (e aqui até acho que o sr está incluído) que não aguentam a voz da cantora, excepto no album de aproximação ao jazz.

Portanto, contenha-se sr. JLx, e abdique de pensar que lá por se ter falado em si, só se fala de si.

Obrigado

e mais uma vez concordando consigo:

Dá-le menina Alice!

menina-alice said...

Bem... Para já é preciso esclarecer que eu, da Björk, gosto do Post, do Debut (tipo os gajos que só gostam do Por Este Rio Acima), de poucas coisas depenicadas nos outros albuns e, sobretudo, de a ver ao vivo. Do Antony não gosto e nunca o hei-de ver ao vivo. Mas já ouvi o Volta duas vezes e já gosto de umas 3, o que não é mau de todo. W gosta. :)

Scarlata said...

A capa é muito pirosa. 8-)

menina-alice said...

A capa é, antes do mais, muito parva. Aquele boneco-Björk que ali vês é um autocolante que une as duas partes do cartão que se unem à frente. Ou seja, ou tiro o autocolante, colo-o atrás (ou ao lado) e ponho-o entalado entre outros CD's ou aquilo vai parecer a janela do quarto de um adolescente daqui a 3 dias. Por outro lado, com o calor, nunca posso deixar no porta-luvas... Não percebo o conceito.

João Lisboa said...

"existem pessoas que conhecemos (e aqui até acho que o sr está incluído) que não aguentam a voz da cantora, excepto no album de aproximação ao jazz"

Erro. Não estou incluído.

"Portanto, contenha-se sr. JLx, e abdique de pensar que lá por se ter falado em si, só se fala de si"

Bem, aqui na minha rua... da senhora da pet-shop ao diabo-da-Tasmânia do quiosque, não se fala de outra coisa...

saturnine said...

caraças, do que não vale assim uma influência autoritária... eu aposto que nunca conseguiria fzer a menina alice ouvir a volta da Björk (piada feita umas 23647 vezes entretanto). :'|

dolphin.s said...

ninguém faria a madama ouvir nada que ela não quisesse. nem o Papa ou até o Sr. Guarda que ela tanto presa, por isso, não te preocupes com a tua falta de autoridade ;))))

menina-alice said...

Manda quem pode, obedece quem deve. Por exemplo, se aquele Sr. Guarda me dissesse que eu tenho de ouvir a volta da Björk (23648), eu bazava do auto-stop direitinha para a FNAC.

Scarlata said...

Mas que algazarra vem a ser esta? Circular, Circular! >:>

saturnine said...

:D :D :D

eu curtia um polícia da brigada de trânsito que em vez de multas obrigasse o pessoal a ir ouvir discos.

menina-alice said...

:D É! E a ir a concertos e que achasse que um gajo trabalha demais e ganha pouco. :D