July 17, 2007

o melhor título, o pior título e a vitória do bom-senso

Mário de Carvalho recebeu o prémio literário italiano, Giuseppe Arcebi, que distingue todos os anos uma obra de ficção de determinado país. A obra premiada foi um dos livros que me soube melhor ler nos últimos tempos e que tem o fabuloso título "Um Deus passeando na brisa da tarde". Outro dos títulos a concurso era o "Morreste-me", do José Luís Peixoto, que nunca irei ler porque o título é fraquinho, desinspiradaço e hesitante e porque já só me restam no máximo uns 50 anos de vida útil e não os posso desperdiçar a ler livros com títulos muito maus.

Este concurso tem a particularidade muito interessante de ter dois júris, um popular, constituído por 70 leitores seleccionados das bibliotecas de Mântua e Brescia e um júri científico, composto por jornalistas e professores universitários. Ler mais no Público.

7 comments:

João Lisboa said...

Se fosse só o título que era mau...

menina-alice said...

Tu não te puseste a ler aquilo, João Lisboa?!...

João Lisboa said...

Seguindo o sagrado princípio "não gosto, razão pela qual não leio" (tenho a mais elevada consideração pelos meus pré-conceitos), não, não li. Aquilo. Mas já li meia dúzia de coisas da peixotal criatura no "JL" (bonito acrónimo, o deste quinzenário) e folheei outras coisas dele. Os meus pré-conceitos nunca me enganam.

Scarlata said...

Tenho aqui em casa" Um Deus passeando na brisa da tarde". Tinha a ideia que o tinha lido, mas sinceramente nao me lembro de uma unica frase, o que nao abona muito em seu favor.

O publico diz "O prémio Giuseppe Arcebi distingue anualmente uma obra de ficção da literatura de um determinado país, para “dar a conhecer e aproximar os povos”. Podiam começar por dar a conhecer o prémio...

alex said...

"Um Deus passeando na brisa da tarde" é muito bom, scar, devias ler.

menina-alice said...

Também sou uma pessoa muito fiel aos meus pré-conceitos. E acho que isto piora com a idade, o que é bom.

Também acho que poderias gostar do livro Maria Escarlata. Vai lá confirmar se leste, vá. E concordo muito contigo nisso do prémio, sobretudo considerando que estás aí. É que para Portugal ainda se compreende; imagino que, apesar de ser uma enorme potência mundial da literatura, não tenha sido o país referência para o concurso nos últimos anos ou até nunca.

Scarlata said...

Fui confirmar, fiquei-me pela pagina 38 lol ainda la esta' o marcador... ora eu nao me lembro porque é que abandonei a leitura... era seco? Vou-lhe da outra oportunidade, nem que seja porque foi uma prenda da minha mana. ;)

O concurso aqui passou ao lado dos media... mas isto agora era abrir aqui um capitolo espinhoso.