December 09, 2007

mais um delírio religioso, mas com humanos fixes e questões fracturantes

Foi depois de me cruzar com o Ratzinger, que avançava sozinho e num passo calmo e decidido por uma rua estreita entre igrejas, quase arquitectonicamente iluminada a espaços por um sol morno de meio de tarde, que senti com um arrepio (como os protagonistas dos filmes de terror) o Mal que vinha daquelas olheirentas pupilas. Tentei ser objectiva e argumentar que sempre o vi como um Darth Vader de saias e que esse preconceito me estava a toldar o julgamento e que, de facto, tinha visto filmes de terror a mais. A sensação, contudo, perdurava e crescia, como que impondo a sua Verdade. A ponto de, quase receosa do regresso do poderoso padre, ter entrado num café, disposta a refugiar-me e reflectir sobre o dilema que já me dominava, passados esses breves minutos, de revelar ao Mundo a minha constatação. Foi então que dei com o António Pires sentado ao balcão e a obrigação moral de desmascarar o rotweiller de Deus foi substituida por uma dúvida lancinante, de importância incomensuravelmente superior: devia ou não ir interromper o António para o cumprimentar?

Como acontece em todos os momentos realmente importantes e decisivos, a gata atirou-se para cima das minhas costas e acordou-me outra vez.

4 comments:

alex said...

lool :D

António Pires said...

Triplo-LOL!!!! :))))))

Pronto, já percebi o contexto do teu sonho comigo!!! Mas olha que se o Ratzinger é uma personagem da «Guerra das Estrelas» não é o Darth Vader! Confere aqui:

http://blog.uncovering.org/archives/2006/04/world_press_car_1.html

E, mesmo em sonhos, podes sempre interromper o meu café para me cumprimentares :)))

Agora, o que é que eu faço num sonho em que também entra o Papa é que eu não percebo (apesar da minha educação católica ;)

A propósito: sabes aquela história do nazi que conduz algemado um jovem padre polaco?... É assim:

Nazi: Anda, porrrco polaco, deprrressa...

Padre polaco: Mas eu estou tão cansado!

Nazi: Anda porrrco, não temos tempo a perrrderrr...

(para abreviar, o nazi bate que se farta no padre polaco até que aparece um... anjo!)

Anjo: Pára de bater nesse pobre padre! Ele um dia há-de ser Papa!

Nazi: E o que é que eu tenho a verrr com isso?

Anjo: É que tu vais ser a seguir...

menina limão said...

lol, alicina :)))))

menina-alice said...

LOOOOOOOOOL Eu não conhecia a do padre polaco! E também não sei o que fazes tu com o Bento16, mas que a coisa deu para esse lado, deu. Se calhar eu ia interromper-te o café, António. Mas a terrorista da gata acordou-me (pela terceira vez nesse dia!)