January 08, 2008

tinha de ter visto em 2007

Os National no Sudoeste.

Quer dizer, a parte de ser no Sudoeste eu dispensava e até dispensei, mas que me custou não ter ido, isso custou. E muito. Ainda hoje olho de revés para quem foi e se andou a gabar por todo o lado.

4 comments:

martalx said...

cá eu escolhi acreditar que esse concerto foi fruto de uma tripe colectiva de umas boas centenas de pessoas e que, na realidade, nunca aconteceu. continuo a acalentar a esperança que este ano os moços não me deixam mal e que hão-de vir a lisboa tocar.

menina-alice said...

Eu gosto muito dessa tua forma alternativa de interpretar o real. Essa e a que respeita - como dizê-lo? - à vertente mais... felino-freudiana? >:>>>>

Vou, tadavia, optar também por acalentar contigo. Vamos estar, quais teenagers insconscientes, embevecidas na primeira fila.

martalx said...

mas, alice, o que é o real? a minha realidade diz-me que o matt e seus acólitos nunca cá puseram os presuntos. se há outras realidades, desconheço-as por completo. dito isto, conto mesmo contigo para fazermos parelha babada na primeira fila de uma sala qualquer em lisboa. na aula magna não me soava nada mal, mas pelo andar do culto que é prestado aos moços nestas paragens se calhar já enchiam o coliseu.

lisabel said...

Tivesse sido eu a escrever um post destes, e tivesse eu a arrumação mental para distribuir essas tagzinhas pelos posts, tinha-o classificado na aliciana secção «o amor».

Mas Alice, digo-te isto do fundo do coração, e não (apenas) com efeitos de consolo: não foi a oitava maravilha do mundo. Em 2008 desejo para ti, e para mim, segundas (e terceiras) oportunidades nesse campeonato.

Beijinhos,

Lia