March 21, 2008

habituarmo-nos a ler liberdade desta

Escritor belga Hugo Claus morreu por eutanásia

O escritor belga Hugo Claus morreu hoje num hospital de Antuérpia, aos 78 anos, depois de ter solicitado a eutanásia, por sofrer da doença de Alzheimer. Em Portugal, Claus tem publicados "O Desgosto da Bélgica" (ASA), "Caça aos Patos" (ASA), "Rumores" (ASA), "Sexta-feira" (Textual).

“Claus determinou o momento da sua morte e pediu a eutanásia”, explicou a sua editora, “De Bezige Bij”, em comunicado oficial. “Em nome da sua família comunicamos que o escritor, pintor e cineasta Hugo Claus faleceu ao meio-dia no hospital Middelheim em Antuérpia”, lê-se no texto.

O autor fez parte da editora “De Bezige Bij” durante quase cinquenta anos.

O ministro flamengo da Cultura, Bert Anciaux, afirmou que “o conhecia suficientemente bem para saber que queria morrer com orgulho e dignidade. Vamos ter saudades”.

Hugo Claus foi indicado em várias ocasiões como candidato ao Nobel da Literatura e em 1998 foi galardoado com o Grande Prémio a Literatura da Comissão Europeia.

A Bélgica é um dos três países da Uniâo Europeia que legalizou a eutanásia, juntamente com a Holanda e o Luxemburgo.


Público

5 comments:

João Lisboa said...

Faz o favor de corrigir a criatura do Público que não sabe que "flamenco" é uma dança andaluz e "flamengos" são o queijo e o ministro.

(... e eu que nem sou propriamente fã de belgas... toma e embrulha!)

menina-alice said...

Corrigido. Com a excitação da notícia, passou-me completamente ao lado.

Também partilho desse estranho preconceito belga. Uma tonteria que nem sei bem de onde vem.

Ana Cristina Leonardo said...

Andei a ler o Singer (que fala disso e de outras coisas); o meu coração hesita em concordar que o estado intervenha nesses assuntos

dolphin.s said...

o estado n tem que intervir. o estado não deve intervir. o estado deve deixar de intervir. como o faz.

Paulo said...

O meu coração hesita em concordar que o estado intervenha nesses assuntos

A sério?