May 01, 2008

a edp e a natureza

Chegou há cerca de uma semana a factura da EDP (uma das grandes, com acertos para mais). Passados o "aieuaieuaieu" e o "estes gajos só podem estar a encher o bandulho à minha custa!", lembrei-me que era de aproveitar e mudar esta factura para o formato electrónico que já enforma muitas das outras que teimam em emagrecer o orçamento desta PME suburbana. Acedo ao site da EDP e, numa selva de informação construída essencialmente para os olhos de investidores e accionistas, lá me registei e fiquei a aguardar a confirmação da operação no mail. Nada. Dia seguinte, também nada. E assim sucessivamente. Adiei quase inconscientemente o projecto ecologista e atribui o fracasso ao modo autista da arquitectura do site. Lá calharia outro dia.

Foi no último dia de Abril que me surpreendeu na caixa de correio uma carta da EDP: confirmava a adesão ao serviços online e listava as instruções da praxe para o activar. Exactamente o mesmo que fariam com um mail e um link, como acontece em todos os outros sites. E o panorama piora: introduzida a chave de activação, já a antecipar a satisfação de mais um pequeno contributo para a saúde do nosso planeta, permaneço ígnara da localização da opção que me permitirá ser uma pequena heroína-verde.

Vou desligar. Pode ser que eles percebam que andei por ali às voltas e me mandem o pedido de inscrição para a factura electrónica por carta registada com A/R.

6 comments:

João Lisboa said...

Há semanas, uma crónica da Clara Ferreira Alves, no Expresso, contava uma história idêntica mas com muito mais capítulos e com duração de meses.

alicinha said...

Às tantas a minha também ainda vai durar, mas eu desbronco-me logo, sabes como é. :D

hotelbates said...

eu aderi a isso pra aí há 6 meses... e já nessa altura estava assim...

pennac said...
This comment has been removed by the author.
pennac said...

You know what they say...no good deed goes unpunished.

alex said...

é o choque tecnológico.