September 28, 2008

o que deus uniu, o homem não separe

Ontem fui a um casamento nos Jerónimos e fiquei em posição de confirmar que Deus não tem wireless. Nos dias que correm, quase todos sabemos que, sem acesso à net, pouco se pode fazer por este mundo e isso deixa o assunto resolvido. Muito na onde do "o que não tem remédio, remediado está". O meu filho, que nunca se vira naquelas andanças litúrgicas, estava verdadeiramente intrigado com aquilo de o padre falar com as palmas das mãos viradas para cima e com os timings do senta-levanta-senta. Para lhe prolongar o (sempre agradável) sentimento de estranheza, quando foi a parte de rezar o Pai Nosso, não resisti a entoar-lhe a reza ao ouvido, eivada do tom e toda a embalagem dos filmes de terror que nos anos 80 me coloriram de vermelho as tardes da adolescência. No fim perguntei se ele tinha achado giro, mas ele prefere os ABBA.

11 comments:

Mr. Steed said...

acha bem a senhora fazer isso ao seu filho? acha? por isso é que este país está pejado de ateus! por isso é que não há respeito está tudo cheio de ladroagem!

Volta Salazar que estás perdoado!

ass. Cidalina Telles de Andrade

João Lisboa said...

E, em tempos, as missas até foram belíssimos espectáculos multimedia - especialmente as da semana santa, um luxo de efeitos especiais! -, com estimulação dos 5 sentidos: ouvido (gregoriano e salmódia), vista (décor e guarda-roupa), olfacto (incenso), tacto (as continhas do terço) e paladar (o corpo do sinhor). Agora, na versão "teatro povero", só lá leva quem precisa mesmo desesperaamente do cumbíbio.

menina alice said...

E deprime. Porque as pessoas não conhecem as deixas, já não interagem, não entram no jogo. O padre fica ainda mais solitário no altar. Aquilo deve estar mesmo a dar as últimas, digo eu.

Espaço do João said...

Bem me parece que ainda há saudositas. Esqueceram-se dos Vampiros do Zeca Afonso. Emfim!!!Esperemos que o tempo NÃO VOLTE PARA TRÁS.

Mr. Steed said...

ó senhor joão olhe que era uma brincadeira!

Vade retro António De Oliveira!

:))))

alex said...

No fim perguntei se ele tinha achado giro, mas ele prefere os ABBA.

thank Dog!

maria m. said...

LOL!

sem-se-ver said...

(já conheço o seu blog há algum tempo. hoje voltei aqui por causa de um link que remetia para o post do 'quiz' do fotógrafo. e foi bom o reencontro. donde, é só para lhe dizer que gosto imenso do seu blog.)

lisabel said...

Paladar? Mas a hóstia não sabe a nada : )

No meu tempo até o cão ia à missa. Vivíamos na rua da capela e o Kiko seguia a minha avó até ao local de oração, sentando-se ao seu lado durante a novena.

Chegámos a ter uma gata (preta!) que uma vez também entrou na igreja e gerou valente confusão, saltando de altar em altar.

menina alice said...

sem-se-ver, obrigada. anseio por tempo para devolver a espreitadela. ;)

A hóstia sabe bem, Lia. Já experimentei diversas vezes. Nunca tive experiências trancendentais, mas curtia e dava para contrariar a quebra de tensão.

Quem te conheça acha giro tu a dizeres "no meu tempo"... :D

lisabel said...

Eu sou uma velha em espírito :D

/ajeita o xaile