October 17, 2008

Lisboa que amanhece

Vai ser uma pena deixar este post sem uma fotografia daquele momento em que hoje, do alto de Monsanto, exactamente antes do sol nascer, vi o céu em tons de rosa-laranja-cinza repercutido no Tejo, as luzes públicas ainda acesas dando forma aos prédios adormecidos e às ruas vazias, ainda indolentes da noite morna que estava prestes a encerrar-se.

Pelo arrepio que me invadiu, aprendi que amar uma cidade deve ser isto.

3 comments:

margarete said...

:)
possas, hoje começo o dia inspirada por ti! *****


p.s. lembrei-me desta imagem

N. said...

:-)

(quando eu sinto assim essas coisas que vejo penso sempre que não há foto que as guarde, nem tem que haver; essas coisas vivem-se no instante em que acontecem e damos por elas)

margarete said...

é isso mm, n :)