February 04, 2010

da série - as grandes invenções do século

Herdeira do bater de asas da borboleta que se conjurou com a capacidade absortiva do ser humano para fazer surgir o motor a jacto, a esferográfica, o anitbiótico, o stress, a lâmpada, a www e o pensinho diário, descobri hoje algo que vai mudar para sempre as minhas voltas na Feira do Livro. Talvez até as vossas, caros milhões de leitores.

Partilhava a minha atenção entre a rádio e as flores das amendoeiras, atenta às florzinhas novas e ao entusiasmo dos tradutores do último livro do Roberto Bolaño - que é hoje lançado em Espanha e no dia 25 aqui no rectângulo, chama-se O Terceiro Reich e que, de acordo com o Bibliotecário de Babel, teve em português a sua primeira tradução mundial -, e voltei a suspirar com pena de ainda não ter comprado, para ler, o 2666.

No momento imediatamente a seguir a admoestar-me, invocando perante o meu capricho o firme propósito de só o comprar na Feira, constatei que iria andar com aquele calhamaço, Parque EVII acima, Parque EVII abaixo, pesando mais a cada metro que avanço e retrocedo e à medida do acréscimo dos outros livros que têm mesmo de se comprar, tornando o que deveria ser um prazer num repetido suplício, e lembrei-me que, a partir deste ano, vou passar a fazer-me acompanhar de um saco com trolley (ou com trolér).

Não é por achar que vou fazer uma figura que oscilará entre a açambarcadora e a sociopata, que partilho esta ideia, que corre o risco de motivar os meus milhões de leitores e reproduzi-la, mas estou convicta que, se fizerem como eu, vão conseguir comprar mais livros e aproveitar melhor a Feira. Vão ser mais pobres também. Mas mais felizes, certamente.

4 comments:

Pedro said...

mas compra um pequenino ok? para não rebentares de felicidade ;)

:*

dolphin.s said...

muhahahah!!! :DDDD

não me imagino a comprar o trollei. se bem que seria capaz de abusar do teu num dia de visita partilhada.

como pagamento empresto-te o meu calhamaço e, em querendo, até faço a entrega ao domicilio ;PPP

João Lisboa said...

Tinha muito mais pinta sacares um carrinho do Pingo Doce.

menina alice said...

Acho que vou usar o da escola do W. Vou buscá-lo à escola, tiro de lá os livros e o dossiê (acho que foi a primeira vez que escrevi dossiê em público...), ponho-os no saco das compras do Jumbo e deixo-os na bagageira. Suspeito que ele também vai achar bem.

Se te comedires, salamandra, se te comedires... E, se eu resistir à feira, troco a entrega ao domicílio por um qualquer pitéu.