September 22, 2007

semanada - noites iguais

A prometer começar cheia de trabalho, a semana 38 cumpriu sem surpresas:

A. voltou das férias e chegou-nos mais repousada e distendida. Faço por nos facilitar a vida. Ela delicia-se por eu já não me enfadar quando me chama. Hei-de conseguir que seja sempre assim...
B. comprou a finalmente grande angular, uma 10-22, rapidíssima a focar e silenciosa; diz que não é muito bonita. Leva os dias todos com fundamentalismos tecnicistas, coitado.
C. telefonou dois minutos depois de eu pensar que lhe ia telefonar porque estava com saudades.
D. escreveu que mimar-me é mimar-se. Podemos pedir mais? Fê-lo de propósito para me fazer fraquejar, mas eu vou continuar a tentar o novo método. Já a anda a fazer bonita com a Dona Guilhermina dela.
E.xposição da Limunina só pode estar a ser um sucesso. Não estivesse eu em mood-caracol...
F. aligeirou inexplicavelmente o vestuário, como se toda a semana fosse de casual friday.
G. não teve reprimendas durante a semana na escola, mas está de castigo e não vê o wrestling para todo o sempre só porque foi desobediente e a mãe é injusta e aplica sanções desproporcionadas quando lhe interessa.
H. sem um único episódio novo esta semana ou eu distraí-me. Mas comecei a ver o Heroes, que tem um rapaz com uns maxilares perfeitos e um castanho de pele mesmerizante. Voltarei a ele.
I. está comigo a ler o Mário de Carvalho e sublinhamos em dueto. Ficou ainda mais vaidosa com uma mala nova, que lhe fez a Tangerina.
J. tem aquela fantasia que um dia o vou deixar acabar um raciocínio sem o interromper de forma desleal e dissimulada. Nem sabe que há muito o faço gratuitamente e por desfastio. Pensa que não gosto dele e na verdade só me entedia.
L. deu mais um passo para longe da info-exclusão.
M., depois do concerto, acabou por arranjar coragem para a cirurgia.
N., que habita já nas imediações do Nirvana, teve-me de volta ao seu post sobre a etérea tranquilidade das suas amizades (pelos mais indesejáveis motivos), apenas para constatar que ainda me faltam uma porrada de reincarnações para a libertação.
O. chegou ontem, mas meio preguiçoso. Temperamental, pode ser que surpreenda bem. Fazer-se anunciar com uma trovoada daquelas, é de quem está cheio de genica.
P. ganhou ao blogger do quiosque do Neves (olha a auto-referência sem link!) e viu-se publicado nos blogues em papel do Público.
Q.ueria mesmo, mesmo, mesmo dar uma passa num cigarro. Já me esqueço. O que estará o Diogo Infante a fazer a esta hora?
R.uca, alter-ego do Irmão Lúcia, ensina-nos o que se esconde debaixo da espuma respectiva.
S. voltou de viagem e ainda não contou as novidades, mas deixou lá marcas: 1/3 dos bordéis do Red Light District vão ao ar.
T., suponho eu, apareceu neste enredo para demonstrar que isto de deixarmos alguém ir a mal quando já somos adultos não serve nenhuma perspectiva positiva do processo de crescimento.
U.ma passa também não me há-de tirar dos caminhos do Senhor, que caraças!
V., sempre titubeante este ano, acabou por desistir e dar lugar a quem quer trabalhar.
X.aile leve trazia Dona F. quando a fui buscar à camionete. Vinha airosa porque a companheira de viagem lhe tinha acabado por dizer que vinha bonita. Fez o papel de avó e desmentiu-me veementemente quando lhe disse que estava mais gorda por ter deixado de fumar.
Z.apping curioso pelos canais de cabo que por aí vêm e já se andam a promover + desconcerto com as mudanças nos números.

10 comments:

menina limão said...

tudo em ordem, exceptuando a gralha na linha T, em que deve ser suposto ler-se "positiva".

fora isso, tudo muito bonito. é uma espécie de serviço público, não é? gosto especialmente da linha E. Também gosto da linha I, porque me deixou a cogitar quem seria a sortuda contemplada com uma mala Tangerina. e pisco o olho à linha Z, em solidariedade para connosco.

N. said...

J. entedia-te nada. Tu só queres é perturbá-lo. Claro que tu vais já dizer que eu não sei de nada e tu é que sabes e é mesmo assim mesmo e tal e tal (até fazes beiça!…) Agora tu é que sabes! Daqui a tempos puf., quéque foi que ele disse?
Beijo

(o P. é um caso perdido de sucesso espontâneo; tem muita saida te digo. Não me admiraria nada de um dia o ver a fazer publicidade a um banco ou às maravilhas do rectângulo a descer de paraquedas como o outro; e vai-se a ver, pensa uma pessoa, até as fuças são regulares, nada de extraordinário; sei lá nem uma verruga, um nariz partido, uma orelha maior do que a outra...)

saturnine said...

que lindo post! :)

menina-alice said...

Obrigada pelo check, Limunina. Ontem estava mesmo a trocar ojólhos já. Corrigi a gralha. Ainda não descobriste quem é a peneirenta do I.?

N., J. é um asno alarve. Nasceu, cresceu, casou, vive, defunha e vai morrer em Alhos Vedros, que deve ser um sítio medonho. Não merece sequer que se seja cool por causa dele, percebes? Resta-me boicotar-lhe a existência quando o resto tudo me entedia. [não fiz beiça, tenho um massajador de cabeça novo!]

You're too kind, spot. :)*

alex said...

não tenho mais a dizer senão que este post me fez sorrir. :)

menina limão said...

I? ai, não estou mesmo a ver...essa letra é uma Incógnita!

saturnine said...

you inspire me, Alice. :)

limão, faz contra-espionagem. isto é: espiolha os links todos! :D

menina limão said...

fonix, os teus links tanjas ou os da alice? pagas-me?

saturnine said...

vai dar ao mesmo. está em ambos. :D

margarete said...

prémio post do mês :P

S, só consegue contar as novidades ao vivo, são muitas para se teclar, quase demasiadas :)
S, não quer fazer interpretações quanto à refª a redlightdistrict 8)