October 14, 2007

o tamanho novo do meu ego

Quase não cabe lá nada, de tão apertado se vem tornando desde que deixei de fumar. A última desalojada foi a minha lendária capacidade para comer comida insuportavelmente picante. Na história, há registos de repastos em que chorei copiosamente, sem conseguir parar de coçar a orelhita, mas aguentando sempre, qual esposa que só encontrasse o seu marido de 3 em 3 anos, precisamente na altura de levar no côco. Depois de ter humilhado muito homem de barba rija, eis que me vejo a soprar desamparada e a pousar os talheres, desistindo. "Retomar" posse do meu apetite foi sempre umas das miragens que alimentei para motivar o esforço absurdo que faço para não fumar, nunca prevendo que a única circunstância em que o sentiria seria aquela onde nunca me fez falta.

Se não for já, estou a um passo de me tornar uma paklina, e de ser mirada com desdém nos restaurantes de comida étnica.

9 comments:

João Lisboa said...

Chegou-me aos ouvidos que estás no "quadro de honra" de um certo e determinado estabelecimento...

JB said...

Não te preocupes, bebezinha, étnicos são todos os restaurantes.

PS: Tenho saudades, lindeza.

menina-alice said...

João, estou a contar com a tua educação e discrição para não desenvolvermos esse assunto, ok? Eu sei onde tu moras, tá?

Também estou cheia de saudades tuas. Diga-se, en passant, que as chamadas que encontrarás no teu aparelho seriam para te espojares cá na sexta passada...

João Lisboa said...

"João, estou a contar com a tua educação e discrição para não desenvolvermos esse assunto, ok? Eu sei onde tu moras, tá?"

Mazómeninalice, não era necessário esse registo de voz de Soprano...

Embora até pensasse que poderia ser mais um elemento nutritivo para o Seu ego. Mas, pronto, pronto.

saturnine said...

"qual esposa que só encontrasse o seu marido de 3 em 3 anos, precisamente na altura de levar no côco"

genial. :D mas é engraçado... será por isso que agora aprecio mais o sushi? por ter deixado de fumar? (na verdade nunca notei grande alteração depaladar em mais coisa nenhuma)

JB said...

Fónix, não ouço as chamadas no meu lélélé há dias. Não marques nada para Domingo.

menina-alice said...

Ok, pronto. Obrigada. O tom Soprano é que eu fico muito encabulada de ver o meu nome ali, em exposição. Devia ter dado um dos meus nicks ou dizer que me chamava Noémia.

Eu não notava nada diferente no paladar. Nem sei se isto da comida spicy tem a ver com o tabaco, Spot, mas que não encontro mais nenhum motivo para este meu decréscimo de poder, isso não encontro. E tu gostas de sushi porque sushi é bom. Eu sempre disse que tu chegavas lá. :)


Deal, JB. Next Sunday is set for you, babe. You and no one else.

margarete said...

...ou dizer que me chamava Noémia :D

menina tangerina said...

pois foi, ainda outro dia me lembrei disso - justamente quando conduzi mais duas jovens inexperientes até à luz - e pensei "a Alice iria ficar oruglhosa de mim". (ninguém te contou que eu cheguei a ter alucinações com sushi de tanto o desejar, não?) :D

de resto, tenho ouvido dizer que deixar de fumar 'limpa' as papilas gustativas e que como tal o paladar fica mais apurado. pode ser o caso. ;)