March 03, 2008

in the air (self wrestling)

Habituar-se a impor-se regras, limites, fronteiras, na convicção plana de tudo se ir tornando mais simples a cada prova subjugada, para depender menos a cada dia, para deixar de tomar garantes das pessoas e das expectativas e das coisas. Embalar um striptease lento e gradual, exfoliando as camadas que deixámos acumular sobre a derme. Reduzir ao singelo, ao seminal, ao seminu. Não possuir para não perder, não experimentar para não precisar. Respirar apenas, sem apneias ou aplestias.

17 comments:

dolphin.s said...

só matava a penúltima frase :)***

margarete said...

lê-se a ritmo fitter happier :|

menina-alice said...

Bem sei que matavas. Mas estás a levar para o estádio perfeito e a esse eu nunca vou chegar. :)***

fitter happier?...

margarete said...

coisas do ritmo de leitura... experimenta!

menina-alice said...

vocês topam-me à légua. não vale. :D

angela said...

e eu, que me esqueço de respirar, com este ritmo que encontro aqui, de repente já me lembro. :)

menina-alice said...

Quando eramos adolescentes, eu e o meu grupo de amigos andámos meses com a mania de nos lembrarmos uns aos outros que estávamos a respirar. Como tudo o que é demais naquela idade, levámo-nos todos um bocado à loucura. Foi fixe. Ainda hoje repetimos de quando em quando.

angela said...

:D Eu passo vários (talvez a maioria dos...) minutos por dia a respirar tão superficialmente que amigos assim seriam uma ajuda preciosa na minha capacidade para exercitar os pulmões. :D Ou então aulas e aulas de yoga seguidas, só com exercício respiratórios. ;)

menina-alice said...

angela, yoga é das melhores coisas que podemos fazer por nós.

angela said...

desde há vários anos que, a espaços [muito, muitíssimo, demasiado] intermitentes, eu sinto isso ;)

pennac said...

Que assustador, Alice...

menina-alice said...

O que te assusta aqui, pennac? Esbafa. Abre o teu coraçãozinho.

dolphin.s said...

ter que respirar, claro! >>>:>>>

pennac said...

Parece o mantra de um acólito da opus dei...

saturnine said...

ai, alice. (tenho saudades tuas).

menina-alice said...

olá saturnine. ando a espreitar-te tristezas, não ando?

saturnine said...

se calhar andas, alice. e este teu post foi uma luva perfeitinha.
a ver se é como o Mark Sandman dizia, someday there'll be a curefor pain. *