June 02, 2008

embandeirar em arco da velha




Derivado do retumbante sucesso da Grande Cimeira da Boavista, celebrada entre os países irmãos Abkhazia e Transnítria e ocorrida neste último fim-de-semana, por pouco esquecíamos que temos um objectivo, uma causa, uma luta. E isto sucede porque a aceitação dos participantes quase nos fazia acreditar que, num futuro risonho, o mundo resultaria liberto de manifestações futebolísticas de massas. Falso! Isso constatou-se logo em NeufChâtel, ontem à noite.

O excesso de confiança, que redundou na ausência de bandeira em alguns dos posts anteriores, está já reduzido à sua condição normal de adolescente geek.


nota: o título do post é o feliz conúbio (como é óbvio) de um dueto com o menino Manuel e o post em si de uma mui pertinente e responsável chamada à razão e da consequente momento de auto-crítica e regresso à ortodoxia

7 comments:

manuel said...

Não sei se te livras de um castigo mesmo assim. Vais ter de ser avaliada pelo alto comité disciplinar da Abhkazia-Transnítria.

Pedro said...

Não ficaria melhor:

"Em derivado do..."

menina alice said...

Adjudicado! "Em derivado do..." é genial. *** Altero de seguida.

Manel, fui eleita alta-comissária para a disciplina na cimeira deste fds, precisamente. Acredites ou não, era a que tinha mais conhecimentos jurídicos. :D

João Lisboa said...

Em derivado de mais um tombo internético - desta vez cortesia do MEO - só agora posso vir confirmar que a Grande Cimeira da Boavista se saldou por um retumbante êxito. E, neste particular momento, em que já é praticamente oficial a "grande praga das bandeirinhas" (provavelmente, em menor quantidade do que em 2004 mas isso deve ser porque, dessa vez, "estavam cá os estrangeiros e era para lhes mostrar"), não há que vacilar na luta!

menina alice said...

Temos de ser solidários contigo, irmão. A internet não te é simpática de facto. Trata-te abaixo de minhoca. Mas a nossa cimeira compensou, a nossa cimeira foi camandrial. Há que reforçar laços e espalhar a ideia. Juntos, faremos deste um mundo melhor.

ABKHAZIA E TRANSNÍTRIA forever.

João Lisboa said...

Oublá, e o ícone indie descose-se com o país dele ou não?...

menina alice said...

Era, não era? Anda caladito o nosso ícone. Deve andar a passar lustro à palma. Ou isso, ou a decidir-se pelo país que vai juntar à luta.